sexta-feira, 27 de setembro de 2013

TEATRO INVISÍVEL

Atores dialogam  dentro de um ônibus onde os passageiros acreditam que o acontecimento seja real

No teatro invisível as pessoas que assistem participam acreditando que tudo seja verdadeiro 




“Teatro invisível é uma forma de encenação na qual apenas os atores  sabem que de fato há uma encenação e os espectadores assistem de forma inconsciente.

As pessoas que assistem acreditam que realmente seja real o que estão vendo e presenciando. 

Este tipo de apresentações geralmente são usados em espaços públicos como por exemplo, em festas de casamento, festas de aniversários, cerimônias realizadas em  igrejas, ônibus com passageiros, praças públicas, comércios, ruas, escolas, etc.

Nestas encenações do teatro invisível, os atores tem que ser os mais realistas possíveis fazendo com que aqueles que os assistem acreditem de tal modo a ponto de intervirem se sentirem  vontade.

No teatro invisível, os espectadores  aceitam a ficção como verdadeira de forma inconsciente, ou seja, não percebem que tudo é  jogo de faz-de-conta.

Ao final de cada encenação deste tipo de gênero teatral  os atores devem revelar aos espectadores que o fato ocorrido foi uma encenação de teatro, de modo que, no  final da apresentação todos e todas sejam levados a  refletir sobre o que viram. Por exemplo, o ator pode simular um mendigo numa rua, verificando as reações dos transeuntes que, então, são levados a reagir espontânea e verdadeiramente ao questionamento que se lhe apresenta.

Outro exemplo pode ser dentro de um ônibus cheio de passageiros onde os atores podem levar diversas questões  sociais para a reflexão como o preconceito  ao idoso, a criança, a mulher, ao homossexual, ao negro etc.


Atividade:

01.)O que é Teatro Invisível?

02.)Que tipos de espaços são usados para este tipo de encenação?

03.)Cite exemplos de onde o Teatro Invisível pode ser apresentado?

04.)No Teatro Invisível de que forma os espectadores aceitam a ficção?

05.)Qual o objetivo em relação aos espectadores ao final de cada encenação deste tipo de gênero teatral?




06.) Marque V ou F:
(      )Ao final de cada apresentação os atores pedem 
 a todos e todas que sejam levados a  refletir sobre o que viram
(      )Nas encenações do Teatro Invisível os espectadores não conseguem ver nada
(      )Nas apresentações do Teatro Invisível  os espectadores assistem de  forma inconsciente
(      )Os atores do Teatro Invisível tem que serem os mais realistas possíveis




07.) Numere corretamente:
(  1  )Teatro Invisível
(  2  )Locais onde podem ser realizadas as encenações do Teatro Invísível
(  3  )No teatro invisível
(  4  )Objetivo do final do Teatro Invisível aos espectadores


(      ) A reflexão
(      ) os espectadores  aceitam a ficção como verdadeira de forma inconsciente, ou seja, não percebem que tudo é  jogo de faz-de-conta 
(      )festas de casamento, festas de aniversários, cerimônias realizadas em  igrejas, ônibus com passageiros, praças públicas, comércios, ruas, escolas, etc.
(      )é uma forma de encenação na qual apenas os atores  sabem que de fato há uma encenação

TEATRO DE SOMBRAS

Teatro de Sombras é uma arte muita antiga que continua encantando jovens, adultos e principalmente as crianças 

Teatro de Sombras é uma arte muita antiga que continua encantando jovens, adultos e principalmente as crianças . 

A sua origem vem desde o período da Pré-História onde os homens já se encantavam com suas sombras movendo-se nas paredes das cavernas.  
Na China o Teatro de Sombras surgiu por  por volta de 5.000 antes de Cristo. 
Nos dias de hoje esta arte consiste em uma projeção, sobre paredes ou telas de linho, de figuras humanas, animais ou objetos. O espetáculo costuma atrair multidões graças ao seu encanto artístico que se espalhou pelos países da Europa até chegar ao Brasil fazendo também muito sucesso.

Existe uma lenda chinesa a respeito do teatro de sombras que conta  que no ano 121 depois de Cristo, o imperador Wu Ti, da dinastia dos Han, desesperado com a morte de sua bailarina favorita, ordenou ao mago da corte que a trouxesse de volta do "reino das Sombras", caso contrário seria decapitado. O mago usou  a sua imaginação e, através de uma pele de peixe macia e transparente, confeccionou a silhueta de uma bailarina.

Quando tudo estava pronto, o mago ordenou que no jardim do palácio, fosse armada uma cortina branca contra a luz do sol e que esta deixasse transparecer essa luz. Houve uma apresentação para o imperador e sua corte. Esta apresentação foi acompanhada de um som de uma flauta que: "fez surgir a sombra de uma bailarina movimentando-se com leveza e graciosidade". Neste momento, teria surgido o teatro de sombras.


ATIVIDADE:

Atividade:

01.)  O que é Teatro de Sombras?

02.) Qual a origem do Teatro de Sombras?


03.) Qual o País que surgiu o Teatro de Sombras?

04.) Quais as figuras que são projetadas sobre as paredes ou tela de linho durante as apresentações do Teatro de Sombras?


05.)Marque V ou F:
(      )Existe uma lenda francesa que fala da origem do Teatro de Sombras
(      )Diz uma lenda japonesa que no ano 121 depois de Cristo o imperador Wu Ti ordenou ao Mago do seu Reino a morte de uma bailarina
(      )Diz uma lenda Chinesa que no ano 121 depois de Cristo o imperador Wu Ti  ordenou ao Mago da Corte que ressuscitasse a sua bailarina favorita
(      )A origem do Teatro de Sombras começou na Pré-História



05.) RELACIONE CORRETAMENTE:
(  1  ) Retrata o surgimento do teatro de sombras
(  2  ) Imperador Chinês
(  3  ) Produziu  a silhueta de uma  bailarina
(  4  ) Instrumento tocado que fez surgir a sombra de uma bailarina


(      )Flauta
(      ) Mago da corte
(      ) Lenda chinesa
(      ) Wu Ti

domingo, 15 de setembro de 2013

BIOGRAFIA CULTURAL DO PROFESSOR DE ARTE/ENSINO DE TEATRO MAX DANIEL ALVES BEZERRA

Max Daniel Alves Bezerra

Formado em Educação Artística com Especialização em Artes Cênicas pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte - UFRN, atualmente exerce a profissão de professor em três escolas, uma estadual e duas pertencentes ao município de Natal. Em todas estas instituições educacionais leciona como professor de Arte/Ensino de Teatro, aprovado e efetivado por concurso público.



Artista desde pequeno

Max nasceu no município de São Gonçalo do Amarante e desde pequeno  teve uma atuante participação e vivência marcante nos acontecimentos culturais de sua cidade.

Quando criança sempre  assistiu,  e em algumas oportunidades participava também  de  encenações  de peças sacras e apresentações dos antigos grupos folclóricos do município, como o Boi Calemba, Pastoril, Fandango, Congos de Saiote e outros, sempre  realizadas no patamar da igreja matriz  ou na Praça Senador Dinarte Mariz.

Recebendo uma forte influência da avó professora e poetisa  Jéssica Débora que foi uma das pioneiras em fazer dramatizações nas escolas que lecionava, começou a fazer teatro no quintal da casa dos seus pais com crianças vizinhas interessadas. 

Porém foi no TESGA, que aos 11 anos de idade ao ser figurante da primeira "Paixão de Cristo" realizada no ano de 1974, ficou conhecido como ator ao lado de Pedro Miranda (in memorian) que foi o 1º Cristo da história de São Gonçalo do Amarante. As apresentações da "Paixão de Cristo" na semana santa ficaram tão marcantes que anos depois, ele e Pedro Miranda viajaram a Nova Jerusalém,  tido como o maior teatro ao ar livre do mundo,  em Pernambuco,   para assistir e conhecer  as inovações surgidas no espetáculo que tinha o ator José Pimentel  como protagonista interpretando o papel de Jesus Cristo.

Além de ator, também é escritor, autor, dramaturgo e diretor


TESGA pioneiro e a primeira dissidência

No ano  de 1983 acompanhou atentamente,  e sem nenhum ressentimento,  a saída de alguns componentes do TESGA,  que decidiram criar um novo grupo de teatro a convite e sob a orientação da Irmã Cristófora já falecida(Freira pertencente a Congregação Filhas do Amor Divino). Este novo  grupo de teatro foi criado  com o nome  na época de   GTU (Grupo de Teatro União) e que,  com o desenrolar  dos anos,   passou a se chamar Gruteu até os dias de hoje.


Amizade com Pedro Miranda

Max e Pedro sempre foram grandes e bons amigos. Até hoje, a memória de Pedro Miranda é respeitada e homenageada e o seu nome  é tido  até hoje  como fundador oficial do TESGA.



TESGA na história

Fundado no dia 15 de janeiro de 1974, o TESGA é o mais antigo grupo de teatro do município onde carrega na sua formação a experiência de vários artistas que por alí passaram: crianças, adolescentes, jovens, pessoas casadas e até mesmo anciões. 


Autor e dramaturgo

Como autor escreveu  "Zâmbi" que foi a primeira peça teatral a ser dublada e apresentada no patamar da igreja matriz em janeiro de 1984 dentro da programação da Festa do Padroeiro. Depois de "Zâmbi", escreveu e dirigiu outras peças  como: "Anarquistas do Amor", "Amor Cigano", "Maria Nazaré", "Fantasmas e Dindins", "A Vinda do Messias", "Sabastião o Caboclo", "A Virgem de Fátima", "Benedito o Santo Negro", "O Massacre de Uruaçu"  e a tradicional "Paixão de Cristo".


Festival de Teatro

Como gestor presidiu a Fundação Municipal de Cultura,  na época chamada de FUMDASGA,  entre os anos de 2005 à 2008, cuja maior marca foi a realização do 1º, 2º, 3º e 4º Festival de Teatro onde os grupos locais, de Natal, da Grande Natal e de outras regiões do Estado do  Rio Grande do Norte vinham se apresentar no Teatro Municipal Poti Cavalcanti tendo diariamente uma grande participação popular. 

sábado, 14 de setembro de 2013

TEATRO INFANTIL


As crianças se sentem motivadas ao fazerem teatro na escola
Durante séculos o teatro evoluiu na sua forma, gênero e conteúdo
A história do teatro infantil está diretamente relacionada com a catequização religiosa
O teatro na escola tem uma importância fundamental na educação do aluno


Durante séculos o teatro evoluiu na sua forma, gênero e conteúdo. Um dos resultados desse desenvolvimento foi o teatro infantil. Atualmente existem companhias, atores e autores especializados na produção do teatro para crianças. 

A história do teatro infantil está diretamente relacionada com a catequização religiosa. No Brasil, no século XVI, os padres jesuítas colocavam crianças em suas criações para causar impacto e facilitar a catequese dos índios. Séculos depois, surgiam as companhias infantis de teatro. Formadas por crianças entre 09 e 14 anos, as apresentações eram, na maioria, adaptações de clássicos e com conteúdo voltado para o público adulto.

Esse cenário mudou completamente em meados do século passado quando ocorreu a grande reviravolta do teatro infantil. Importantes companhias foram fundadas em Pernambuco, Rio de Janeiro e São Paulo. Todas com um diferencial: os textos, produções e artistas eram focados no universo infantil. Um marco para essa evolução foi a fundação do grupo Tablado, por Maria Clara Machado, que realizava produções infantis de alta qualidade.

O teatro na escola tem uma importância fundamental na educação, permitindo  ao aluno evoluir em  vários níveis: na socialização, criatividade, coordenação, memorização, vocabulário, entre muitos outros.


Atividade:

01. Como o teatro evoluiu durante os séculos?

02.)Cite um dos resultados do desenvolvimento desta evolução?

03.)Com que fato a história do teatro está diretamente relacionada na história do Brasil?

04.)Porque os padres jesuítas no Brasil do século XVI colocavam crianças em suas criações ?

05.)Séculos depois, as companhias infantis formadas por crianças entre 09 e 14 anos apresentavam clássicos para que tipo de público?



06.) Marque V ou F:

(      )A história do teatro infantil está diretamente relacionada com a Segunda Guerra Mundial
(      )Durante séculos o teatro evoluiu na sua forma, gênero e conteúdo
(      )No século passado importantes companhias foram fundadas em Alagoas, Paraíba e  Natal
(      )O grupo Tablado foi fundado  por Maria Clara Machado, que realizava produções infantis de alta qualidade



07.) Numere corretamente:

(  1  )Teatro na escola
(  2  )Níveis de evolução do teatro infantil no aluno
(  3  )Século onde o teatro surgiu no Brasil através dos padres jesuítas
(  4  )Participantes do teatro infantil nas escolas



(      )Socialização, criatividade, coordenação, memorização e  vocabulário
(      )Século XVI
(      )Os alunos
(      )tem uma importância fundamental na educação infantil

ÓPERA

A ópera teve a sua origem  na Itália no início do século  XVII

O drama é apresentado utilizando os elementos típicos do teatro, tais como cenografia, vestuários e atuação
A Ópera vem sempre acompanhada por uma orquestra


O termo ópera provém do latim e combina as artes de canto coral e solo, recitativo e balé, em um espetáculo encenado.

A ópera teve a sua origem  na Itália no início do século  XVII,  para definir as peças de teatro musical, às quais se referia, com formulações universais como drama musical ou fábula musical, espécie de diálogo falado ou declamado acompanhado por uma orquestra 


Ópera  é um gênero artístico teatral que consiste em um drama encenado acompanhada de música. Os cantores são acompanhados por um grupo musical, que em algumas óperas pode ser uma orquestra sinfônica completa.

O drama é apresentado utilizando os elementos típicos do teatro, tais como cenografia, vestuários e atuação. No entanto, a letra da ópera conhecida como libreto é normalmente cantada em lugar de ser falada. 

A ópera surgiu no Brasil como  forma de lazer no século XIX, tocada muito nos Saraus.

Os Saraus continuam nos tempos atuais e são eventos culturais com música  realizado geralmente em casa particular, em escolas, Mercados, Clubes onde as pessoas se encontram para se expressarem ou se manifestarem artisticamente através da dança, poesia, teatro, artes visuais, literatura, folclore, etc.

Atividade:

01.)O termo ópera provém de que língua?

02.)A ópera teve origem em que país?

03.)Em que século a ópera teve a sua origem? 


04.)O que acompanhava o drama musical ou fábula musical que era uma espécie de diálogo falado ou declamado?

05.)Dê o conceito do que é ópera.



06.) Marque V ou F:

(      )A ópera surgiu no Brasil como  forma de lazer no século XIX, tocada muito nos Saraus
(      )A ópera teve a sua origem  na Espanha  no início do século  XX
(      )Os saraus são jogos de futebol dentro de casas de espetáculos
(      )O drama é apresentado utilizando os elementos típicos do teatro,  como cenografia, vestuários e atuação



07.) Numere corretamente:

(  1  )Saraus
(  2  )Século em que a ópera surgiu no Brasil como forma de lazer
(  3  )letra da ópera conhecida e  normalmente cantada em lugar de ser falada
(  4  )Gêneros artísticos utilizados pelos participantes dos saraus



(      )Libreto
(      )são eventos culturais com música  realizado geralmente em casa particular, em escolas, Mercados  e  Clubes
(      )dança, poesia, teatro, artes visuais, literatura, folclore, etc.
(      )Século XIX

MUSICAL

Musical  "A Bela e a Fera" 
Musical  "Os Miseráveis"  



Teatro musical é uma forma de teatro que combina música, canções, dança, e diálogos falados. 

Existem três componentes para um musical: a música, interpretação teatral e o enredo. 

O enredo de um musical refere-se a parte falada  da peça; Interpretação teatral se relaciona as apresentações  de dança, encenação e canto. As letras e o enredo são freqüentemente impressos como um libreto.

A vantagem de assistir a um musical é você adquirir um ingresso para uma peça e assistir shows de várias expressões artísticas de só uma vez: atuação, música e dança.

Os musicais também desenvolvem histórias e têm começo, meio e fim. A diferença é que no seu contexto há músicas cantadas pelos atores, que também coreografam muitas vezes acompanhados de bailarinos.

Esse estilo teatral é muito famoso pelas peças da Brodway e no Brasil é a capital de São Paulo que recebe as peças, como uma filial da americana, traduzidas e adaptadas como A Noviça Rebelde,  O fantasma da Ópera, Hair,  Mama Mia, Os miseráveis, A Bela e a Fera  e outros mais.

Atividade:

01.)Defina o que é Teatro Musical.

02.)Quais os três instrumentos utilizados em um Musical?

03.)A que se refere o enredo de um Musical?

04.)A que se relaciona a interpretação teatral?

05.)O que são impressos em um Libreto? 



06.) Coloque V ou F:

(      )Os musicais também desenvolvem histórias e têm começo, meio e fim
(      )"Diretas Já" foi um grande Musical 
(      )A capoeira faz parte dos grandes Musicais
(   )No Musical as músicas são cantadas pelos atores, e muitas vezes vem acompanhados por  bailarinos



07.) Numere corretamente:

(  1  )Expressões artísticas utilizadas em um Musical
(  2  )Musical
(  3  )recebe as peças, como uma filial da americana
(  4  )A Noviça Rebelde,  O fantasma da Ópera, Hair,  Mama Mia, Os miseráveis, A Bela e a Fera 


(      )estilo teatral  muito famoso pelas peças da Brodway
(      )Musicais famosos
(      )atuação, música e dança
(      )São Paulo

LITERATURA DE CORDEL

Literatura de cordel é também conhecida no Brasil como folheto...


...é um gênero literário popular escrito frequentemente na forma rimada
A Literatura de Cordel passou a ser utilizada no Brasil a partir do  século XVI 


Literatura de cordel também conhecida no Brasil como folheto, é um gênero literário popular escrito frequentemente na forma rimada, originado em relatos orais e depois impresso em folhetos.

Teve início no século XVI no Brasil,  e mantém-se até hoje como uma forma literária popular.

O nome tem origem na forma como tradicionalmente os folhetos eram expostos para venda, pendurados em cordas, cordéis ou barbantes em Portugal.

No Nordeste do Brasil o nome foi herdado, mas a tradição do barbante não se perpetuou: o folheto brasileiro pode ou não estar exposto em barbantes. Alguns poemas são ilustrados com xilogravuras, também usadas nas capas.

As estrofes mais comuns são as de dez, oito ou seis versos. Os autores, ou cordelistas, recitam esses versos de forma melodiosa e cadenciada, acompanhados de viola, como também fazem leituras ou declamações muito empolgadas e animadas para conquistar os possíveis compradores.

Para reunir os expoentes deste gênero literário típico do Brasil, foi fundada em 1988 a Academia Brasileira de Literatura de Cordel, com sede no Rio de Janeiro.

Atividade:

01.)Como a Literatura de Cordel é conhecida no Brasil?

02.)O que é Literatura de Cordel?

03.)A Literatura de Cordel teve início em que século no Brasil?

04.)De que forma os folhetos da Literatura de Cordel eram expostos para venda em portugal?

05.)Que tipo de arte ilustra os poemas e capas dos folhetos da Literatura de Cordel?



06.) Coloque V ou F:

(      )O  folheto brasileiro pode ou não estar exposto em barbantes
(      )Alguns poemas são ilustrados com o xaxado
(      )No Nordeste do Brasil   a tradição do barbante não se perpetuou
(      )As estrofes mais comuns são as de dez, oito ou seis versos



07.)Numere corretamente:

(  1  )Autores ou cordelistas
(  2  )Instrumento usado na recitação de versos dos cordelistas
(  3  )Sede da Academia Brasileira de literatura de Cordel
(  4  )Foi fundada em 1988


(      )Rio de Janeiro
(      )Academia  Brasileira de Literatura de Cordel
(      )viola
(      )recitam  versos de forma melodiosa e cadenciada

segunda-feira, 9 de setembro de 2013

MACULELÊ

O Maculelê surgiu na cidade de Santo Amaro  da Purificação na Bahia
Expressão cultural que conta a lenda de um jovem guerreiro
É apresentada através de dança e cânticos

Apresentação com bastões e facões fazem parte do Maculelê



O Maculelê é uma manifestação cultural dançada por homens.

Surgiu na cidade de Santo Amaro da Purificação no Estado da Bahia, berço também da Capoeira. 

O Maculelê é  uma expressão teatral que conta através da dança e de cânticos, a lenda de um jovem guerreiro, que sozinho conseguiu defender sua tribo de outra tribo rival usando apenas dois pedaços de pau, tornando-se o herói da tribo.

Sua origem é desconhecida. Uns dizem que é africana, outros afirmam que ela tenha vindo dos índios brasileiros e há até quem diga que é uma mistura dos dois. 

Há muitas outras versões de lendas sobre o Maculelê, mas todas sustentam a versão de um guerreiro sozinho, enfrentando a invasão inimiga com apenas dois bastões.

O instrumento fundamental no maculelê é o atabaque. 

Durante a apresentação do maculelê, os componentes, que representam a tribo rival, formam um círculo em volta de uma pessoa, que representa o herói. Todos sustentando um par de bastões nas mãos. O desenrolar da história é contado através dos cânticos que são respondidos em côro. Além do côro os componentes batem os bastões  no ritmo do atabaque que é tocado pelo mestre do maculelê.

Nos dias de hoje o maculelê se mantém preservado graças à sua incorporação por grupos de capoeira, que incluíram a dança nas suas apresentações. Os componentes se apresentam vestidos de saia de sisal, sem camisa e com pinturas pelo corpo. 



Atividade:
01.) O que é o Maculelê?

02.) Onde surgiu o Maculelê?

03.) O que conta o Maculelê através de suas danças e cânticos?

04.) Fale da origem do Maculelê.

05.) Qual a principal lenda que sustenta a versão da  origem do Maculelê?




06.) Marque V ou F:

(      )O instrumento fundamental no maculelê é o atabaque  

(      )Nos dias de hoje o maculelê se mantém preservado graças à sua incorporação por grupos de capoeira

(      )Na dança do Maculelê, além do côro os componentes batem os bastões  no ritmo do atabaque que é tocado pelo mestre

(      )O instrumento fundamental no maculelê é o berimbau 



07.) Numere corretamente:

(  1  )Origem do Maculelê

(  2  )Visual e figurino dos componentes do Maculelê

(  3  )Santo Amaro da Purificação no Estado da Bahia

(  4  )É formado um círculo em volta de uma pessoa, que representa o herói




(      ) vestidos de saia de sisal, sem camisa e com pinturas pelo corpo

(      )berço também da Capoeira

(      )Formação  dos  componentes do Maculelê , que representam a tribo rival

(      )Uns dizem que é africana, outros afirmam que ela tenha vindo dos índios brasileiros e há até quem diga que é uma mistura dos dois. 

BAMBELÔ

Mestre Sérvulo (in memorian) com o bambelô de São Gonçalo do amarante
Apresentação do bambelô de São Gonçalo do Amarante no Teatro Municipal Poti Cavalcanti

Bambelô é dançado em círculo


Bambelô é um folguedo comum da região Nordeste. 
Esta palavra Bambelô  vem de zambê que significa  tambor com que os dançarinos marcam o ritmo, nas rodas de coco ou bambelô. 

Como manifestação folclórica,  podemos dizer que o bambelô é filho do coco e neto do batuque, que tudo são danças africanas tocados ao som de percussão. 

O canto que acompanha os números de dança, no bambelô, é ao estilo do coco ou embolada, e  o ritmo porém mais assemelhado ao do samba. Os versos do bambelô se compõem de um refrão fixo, que o coro de dançarinos responde, enquanto o solista improvisa ou repete velhas quadras, do cancioneiro popular brasileiro.

Em alguns bambelôs, o convite para substituição não é feito por umbigada mas por uma reverência com a cabeça ou batida de pé diante da pessoa escolhida.

O bambelô natalense é uma dança de roda, na qual os dançarinos cantam de mãos dadas, ou batem palmas, marcando o ritmo da dança, enquanto, no meio da roda, um deles se apresenta, exibindo suas virtuosidades


Em Natal é também conhecido como jongo-de-praia, coco-de-zambê e zambelô. É semelhante ao jongo, ao coco-de-roda, à punga.



Atividade:

01.) O que é Bambelô?


02.) O que significa a palavra zambê?


03.) Como manifestação folclórica, o que podemos dizer do Bambelô?


04.) Qual o  estilo    que acompanha os números de dança do bambelô?


05.) Em Natal, quais os nomes que o bambelô também é conhecido?


06.) Marque V ou F:

(    )Coco e batuque são danças africanas tocadas ao som de percussão

(     )O rítmo do bambelô é assemelhado ao samba

(     )A origem do bambelô  vem da Grécia antiga

(  )No bambelô o  solista improvisa ou repete velhas quadras do cancioneiro espanhol





07.)Numere corretamente:

(  1  )Os versos do bambelô
(  2  )Bambelô natalense 
(  3  )O solista 
(  4  )Em alguns bambelôs


(      )é uma dança de roda, na qual os dançarinos cantam de mãos dadas, ou batem palmas, marcando o ritmo da dança, enquanto, no meio da roda, um deles se apresenta, exibindo suas virtuosidades

(   )se compõem de um refrão fixo, que o coro de dançarinos responde, enquanto o solista improvisa ou repete velhas quadras, do cancioneiro popular brasileiro.

(      ) o convite para substituição não é feito por umbigada mas por uma reverência com a cabeça ou batida de pé diante da pessoa escolhida.

(      ) improvisa ou repete velhas quadras, do cancioneiro popular brasileiro.